• (27) 98157 0018
  • (27) 3329 5599
  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O ator Arnold Schwarzenegger se reuniu nesta segunda-feira com o prefeito de São Paulo, João Doria, para debater sobre energia verde, um dos focos de atuação da ONG ambientalista R20, fundada pelo ex-governador da Califórnia.

Depois da reunião, a portas fechadas, e na qual trataram temas de sustentabilidade, energia verde e esporte, Doria falou com a imprensa e disse que o astro de Hollywood "é um grande incentivador de causas ambientais".

Energia Solar rompendo limites

Solar Stratos

Depois de três anos de planejamento e construção, o primeiro avião solar estratosférico fez seu primeiro voo de teste na Suíça.

O Solar Stratos mede 8,5 metros de comprimento, tem uma envergadura de 24,9 metros e pesa 450 quilogramas.

Suas asas estão cobertas por 22 metros quadrados de placas solares com eficiência entre 22 e 24%, o que será suficiente para prover os 32 kW necessários para alimentar seu motor rodando a 2.200 rpm. Baterias de íons de lítio podem armazenar até 20 kWh para segurança e voos noturnos.

BB Agro Energia espera liberar R$ 2,5 bilhões e vai beneficiar pessoas físicas , jurídicas e cooperativas

O Banco do Brasil lançou o BB Agro Energia, um novo programa de linhas de financiamento voltado para o uso de energia renováveis no meio rural, tanto para pessoas físicas, jurídicas e cooperativas. A estimativa é que ela libere R$ 2,5 bilhões em 2017. O programa vai possibilitar a instalação de placas fotovoltaicas, aerogeradores ou biodigestores nos terrenos de modo a reduzir os custos de produção, transformá-los em autoprodutores, transferência de tecnologia ao campo e ampliação dos negócios com o setor agropecuário.

As linhas que englobam o programa são as seguintes: FCO Rural, Inovagro, Investe Agro e Pronamp, para a agricultura empresarial; Pronaf Eco, para a agricultura familiar; e Pronaf Agroindústria e Prodecoop, para cooperativas agropecuárias. As taxas variam de 2,5% até 12,75% ao ano e o prazo médio de 10 anos. O financiamento pode ir até 100% do projeto.

De acordo com o presidente executivo da Associação Brasileira de Energia Solar e Fotovoltaica, Rodrigo Sauaia, o programa representa uma evolução para o financiamento da fonte, uma vez que o BB Agro Energia é completamente direcionado para o setor agrícola, além de ser uma ação coordenada. "O programa tem abrangência nacional, agora o foco é o agronegócio brasileiro. Isso é muito sinérgico", afirma. O aspecto da sustentabilidade no campo também foi elogiado pelo presidente da associação. Ele também lembrou que A Absolar vem há dois anos debatendo com banco a implantação de linhas de crédito para o setor. A associação também atua junto ao banco para a abertura de uma linha de financiamento para consumidores na área urbana.

Áreas como suinocultura e avicultura, que tem consumo de energia bastante elevado poderão se beneficiar das linhas. Para obter o financiamento, é necessário que os projetos devam ter até 1 MW. O financiamento também poderá comtemplar equipamentos que vão atuar de forma isolada em uma propriedade, não precisando estar conectado à rede.

Fonte: Pedro Aurélio Teixeira, da Agência CanalEnergia, Consumidor 07/04/2017

http://www.canalenergia.com.br/zpublisher/materias/Consumidor.asp?id=116593 

Governo deve incentivar consumo menor As águas de março não vieram fechando o verão, como pretendia o clássico de Tom Jobim. Com chuvas abaixo da média em quase todo o país nos primeiros três meses do ano, o governo pretende adotar medidas para reduzir o consumo de energia, embora o Brasil ainda atravesse a maior recessão de sua História.

Neste sábado participamos de uma palestra com a presença do presidente da ABSOLAR, Rodrigo Sauaia, onde podemos nos atualizar quanto ao crescimento da energia solar no ES e no Brasil.

Atualmente, o Espírito Santo está ainda entre os últimos 5 estados que ainda não aderiram ao convênio do CONFAZ, em que isenta a cobrança de ICMS quando o sistema injeta energia na rede. Possivelmente o estado ficará entre os 4 últimos estados, visto que, o estado do Amapá já sinalizou a adesão ao sistema ainda neste semestre.

O que mais nos motiva é que, apesar dos obstáculos que o governo estadual do ES tem alegado para não aderir, por receio de perder receita, o estado subiu da 10ª posição para a 7ª posição em número de ligações fotovoltaicas no Brasil, o que demonstra que a população está fazendo sua parte e aderindo a geração distribuída.

Passamos por uma crise hídrica histórica, e não temos vislumbrado um horizonte favorável para que as hidrelétricas, inclusive no ES, atuem com plena capacidade. As termelétricas já iniciaram operação e temos tarifa com bandeira vermelha em Abril, sendo que o período de chuvas agora vem somente no final do ano.

Os desafios são muitos, mas estamos no caminho certo!